Em busca dos Mistérios do Mundo Antigo - Incríveis Revelações Arqueológicas - A história Proibida da raça humana - A verdade que não te contaram - Os Gigantes da Antiguidade - Kadumago antigo narrador de Mistérios da Antiguidade - Siga este blog - Se inscreva no canal - Siga a página no facebook - Ajude o trabalho crescer - A verdade que não te contaram - Os Gigantes da Antiguidade - O Continente Perdido de Mu - Os Gigantes Ruivos da América - Deuses do Egito - Os Gigantes Construtores Antediluvianos - Kadumago antigo narrador de Mistérios da Antiguidade - Siga este blog -Se inscreva no canal - Siga a página no facebook - Ajude o trabalho crescer - Dinossauros - um passado não tão distante de nós - Os imponentes megálitos de Baalbek - A História Perdida da Terra - Mundos Antediluvianos

Páginas

A extinta ave Moa

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

  Um grupo de pesquisadores estava explorando a vasta rede de cavernas subterrâneas das regiões montanhosas da Nova Zelândia, quando, sob Mount Owen, encontraram um tipo de garra que parecia pertencer a um monstro. A descoberta perturbadora, composta por uma série de estranhos ossos ainda unidos por uma camada de pele, revelou-se a garra de um pássaro não voador conhecido como Dinornis ou moa, e tinha mais de 3000 anos de idade. Embora tenha sido extinto há cerca de cinco séculos, o susto dos espeleólogos em 1986 é mais do que compreensível.
By McBlackneck [CC BY-SA 4.0 (https://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0)], from Wikimedia Commons

Com menos de um metro de altura e cerca de 17 a 34 quilos, o moa de planalto estava entre as menores de sua espécie. Ao contrário de outras moas, tinha penas cobrindo todo o corpo, mas o bico e os pés, adaptados ao seu ambiente frio. No passados os cientistas acreditavam que o moa de montanha mantinha seu pescoço e cabeça eretos; no entanto, ele realmente se portava numa postura encurvada, com o nível da cabeça nas costas. 

Isso o ajudaria a percorrer a vegetação abundante em seu habitat, enquanto um pescoço estendido teria sido mais adequado para espaços abertos. Ele não tinha asas nem cauda. O moa comia folhas e pequenos galhos, usando o bico para "cortar com movimentos semelhantes a tesouras" . Sua comida exigia moagem antes que pudesse ser digerida. Um estudo de 2004 sobre o coprólito do moa do planalto forneceu evidências de que ramos de árvores como o Nothofagus, várias ervas de borda do lago e touceiras faziam parte de sua dieta. Esta espécie de ave geralmente colocava apenas 1 a 2 ovos de cor azul-esverdeada de uma só vez. Como o emu e o avestruz, o moa masculino cuidava dos jovens. O único predador do moa de planalto antes da chegada dos humanos na Nova Zelândia era a águia do Haast.

Os humanos entraram em contato pela primeira vez com a moa das terras altas por volta de 1250 a 1300 dC, quando o povo maori chegou à Nova Zelândia vindo da Polinésia. O Moa, um animal dócil, era uma fonte fácil de alimento para os maori e acabou sendo caçado até a extinção em 1500.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Índice das Postagens

Total de visualizações

Sima-me

Sobre mim

Minha foto
Sou um homem amante do conhecimento portanto gosto de propaga-lo através de minhas criações artísticas e audiovisuais. Sou historiador, artista conceitual, escritor e compositor.

Se inscreva em meu canal

Siga meu blog

Postagem mais recente

Os indícios de civilizações antigas nas Américas

Petróglifos em Santa Catarina na Ilha do Campeche - foto cortesia do TripAdvisor A teoria de que os Vikings estiveram em Santa Catari...

Conheça meu Livro

Adquira a sua

Conheça minhas estampas


Conheça minhas estampas

Postagens mais visitadas

Atlântida reino dos gigantes

Baixe o livro de graça
kadumago. Tecnologia do Blogger.

Política de Privacidade

Termos e Serviço

Denunciar abuso