Em busca dos Mistérios do Mundo Antigo - Incríveis Revelações Arqueológicas - A história Proibida da raça humana - A verdade que não te contaram - Os Gigantes da Antiguidade - Kadumago antigo narrador de Mistérios da Antiguidade - Siga este blog - Se inscreva no canal - Siga a página no facebook - Ajude o trabalho crescer - A verdade que não te contaram - Os Gigantes da Antiguidade - O Continente Perdido de Mu - Os Gigantes Ruivos da América - Deuses do Egito - Os Gigantes Construtores Antediluvianos - Kadumago antigo narrador de Mistérios da Antiguidade - Siga este blog -Se inscreva no canal - Siga a página no facebook - Ajude o trabalho crescer - Dinossauros - um passado não tão distante de nós - Os imponentes megálitos de Baalbek - A História Perdida da Terra - Mundos Antediluvianos

Páginas

A extinta ave Moa

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

  Um grupo de pesquisadores estava explorando a vasta rede de cavernas subterrâneas das regiões montanhosas da Nova Zelândia, quando, sob Mount Owen, encontraram um tipo de garra que parecia pertencer a um monstro. A descoberta perturbadora, composta por uma série de estranhos ossos ainda unidos por uma camada de pele, revelou-se a garra de um pássaro não voador conhecido como Dinornis ou moa, e tinha mais de 3000 anos de idade. Embora tenha sido extinto há cerca de cinco séculos, o susto dos espeleólogos em 1986 é mais do que compreensível.
By McBlackneck [CC BY-SA 4.0 (https://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0)], from Wikimedia Commons

Com menos de um metro de altura e cerca de 17 a 34 quilos, o moa de planalto estava entre as menores de sua espécie. Ao contrário de outras moas, tinha penas cobrindo todo o corpo, mas o bico e os pés, adaptados ao seu ambiente frio. No passados os cientistas acreditavam que o moa de montanha mantinha seu pescoço e cabeça eretos; no entanto, ele realmente se portava numa postura encurvada, com o nível da cabeça nas costas. 

Isso o ajudaria a percorrer a vegetação abundante em seu habitat, enquanto um pescoço estendido teria sido mais adequado para espaços abertos. Ele não tinha asas nem cauda. O moa comia folhas e pequenos galhos, usando o bico para "cortar com movimentos semelhantes a tesouras" . Sua comida exigia moagem antes que pudesse ser digerida. Um estudo de 2004 sobre o coprólito do moa do planalto forneceu evidências de que ramos de árvores como o Nothofagus, várias ervas de borda do lago e touceiras faziam parte de sua dieta. Esta espécie de ave geralmente colocava apenas 1 a 2 ovos de cor azul-esverdeada de uma só vez. Como o emu e o avestruz, o moa masculino cuidava dos jovens. O único predador do moa de planalto antes da chegada dos humanos na Nova Zelândia era a águia do Haast.

Os humanos entraram em contato pela primeira vez com a moa das terras altas por volta de 1250 a 1300 dC, quando o povo maori chegou à Nova Zelândia vindo da Polinésia. O Moa, um animal dócil, era uma fonte fácil de alimento para os maori e acabou sendo caçado até a extinção em 1500.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Total de visualizações

Siga-me nas redes Sociais

Sobre mim

Minha foto
Sou historiador, artista conceitual, escritor e compositor. Um homem apaixonado pelo conhecimento que se sente feliz em poder propaga-lo através de criações artísticas e audiovisuais.

Siga meu blog

Meus outros blogs

Índice das Postagens

Meu canal

Postagem mais recente

As Amazonas do Cáucaso

 Créditos da imagem    Boris Vallejo (Valeggio) "A existência das amazonas não me parecia mais uma fábula depois de eu ter...

Conheça meu Livro

Adquira a sua

Conheça minhas estampas

The Giant's Well Standard T-Shirt Front

Conheça minhas estampas

Postagens mais visitadas

Conheça minhas estampas

Conheça minhas estampas

Atlântida reino dos gigantes

Baixe o livro de graça
kadumago. Tecnologia do Blogger.

Política de Privacidade

Termos e Serviço

Denunciar abuso